CINCO DIAS APÓS NOMEAÇÃO, MINISTRO DA EDUCAÇÃO PEDE DEMISSÃO.



Por: Amarildo Mota


CINCO DIAS APÓS NOMEAÇÃO, MINISTRO DA EDUCAÇÃO PEDE DEMISSÃO.


Carlos Alberto Decotelli, Ministro da Educação nomeado há cinco dias, pediu demissão na tarde dessa terça feira (30). Ele é o terceiro nome a deixar a pasta. Em apenas um ano e meio o MEC  teve 3 Ministros. O último a assumir a pasta pediu demissão antes mesmo de ser empossado e em meio a denúncias de fraude em seu currículo.

Decotelli teve os títulos acadêmicos contestados pelas instituições de ensino. Em seu currículo, declarava possuir título de doutorado pela Universidade Nacional de Rosário, na Argentina. O reitor da instituição, Franco Bartolacci, desmentiu a informação.

Este também afirmava ter feito pesquisa de pós doutorado na Universidade de Wuppertal, na Alemanha, que também negou a informação passada por Decotelli. Na fundação Getúlio Vargas encontraram sinais de plágio em sua dissertação de mestrado.

E por fim, a FGV desmentiu que o economista tenha sido professor ou pesquisador da Fundação.

 Indicado pela ala militar, Decotelli era visto com um perfil mais técnico e que viria para apaziguar a pasta, após a saída atribulada do ex Ministro Abraham Weintraub, porém perdeu apoio em meio às repercussões recentes.

Alguns nomes estão cotados para assumir o Ministério, como Anderson Correia, atual reitor do ITA ( Instituto Tecnológico de Aeronáutica), também Renato Feder, secretário de educação do Paraná,  Sérgio Sant'Ana, ex assessor do MEC, na gestão de Weintraub, e Ilona Becskeházy, atual secretária de Educação Básica.

O (a) novo (a) Ministro (a) terão como desafios a realização do ENEM e a implantação da base nacional comum curricular.

Postar um comentário

0 Comentários