Ministério da Saúde habilita mais 80 leitos de UTI no DF Credenciamento é restrito a 90 dias, prorrogáveis conforme a situação. Com isso, serão repassados R$ 11,6 milhões pelo Ministério da Saúde



Por: Amarildo Mota


A rede pública de saúde do Distrito Federal teve 80 leitos de UTI Adulto e Pediátrico habilitados para uso exclusivo de pacientes com a Covid-19. Eles foram liberados pelo Ministério da Saúde (MS) na Portaria n° 858, publicada no Diário Oficial da União (DOU) de sexta-feira (24).
Foram habilitados 60 novos leitos de terapia intensiva no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), 10 no Hospital Universitário de Brasília (HUB) e 10 no Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB). 
O incremento para parte do custeio desses leitos será feito pelo repasse do Ministério da Saúde, no valor de R$ 11,6 milhões. A habilitação é restrita ao período de 90 dias, podendo ser prorrogável conforme a situação.
A medida se torna necessária: manter um paciente em uma UTI custa aproximadamente R$ 3 mil a diária para a rede pública de saúde do DF. Com a ajuda do governo federal, será possível a pasta local investir em outras ações de enfrentamento ao coronavírus.
“Esse é um passo importante para a saúde pública do DF. A habilitação garante recursos para UTIs que atendem pacientes com a Covid-19. Com mais leitos habilitados e a verba do Ministério da Saúde, teremos um grande reforço durante a pandemia”, afirmou o secretário de Saúde, Francisco Araújo.
No HRSM, hospital com maior quantidade de leitos habilitados para Covid-19, foram ativados em um primeiro momento 40 leitos de UTI – com pacientes já sendo referenciados para esta unidade. Também criaram o chamado Pronto-Socorro Covid no hospital, com 26 leitos para atender aos pedidos – sendo 10 deles com suporte respiratório.
“Desse total de 66 leitos, 60 estão habilitados agora pelo Ministério”, informou o diretor-presidente do Instituto de Saúde do DF (Iges-DF), Sérgio Costa, responsável pela gestão do HRSM, Hospital de Base e as seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Segundo a subsecretária de Planejamento em Saúde, Christiane Braga, a expectativa é que a Secretaria de Saúde tenha ainda mais leitos habilitados durante o pico da pandemia do novo coronavírus, caso seja necessário.
“Encaminharemos novas solicitações para habilitações de leitos de UTI para a Covid-19, com a previsão de chegarmos em torno de 800 leitos até o pico da pandemia, estimado para maio-junho. Mas eles serão habilitados aos poucos, conforme a demanda exigir”, informou a subsecretária.
Sistema de prontuário
A Secretaria de Saúde possui, até o momento, 554 leitos de UTI cadastrados no Sistema de Prontuário Eletrônico – sendo que, desses, 122 já estão voltados aos atendimentos da Covid-19. Os 80 liberados pelo Ministério da Saúde estão dentro dos 122 direcionados para esse fim.
Vinte deles foram abertos na sexta-feira (24), na UPA do Núcleo Bandeirante, com a presença do governador Ibaneis Rocha, do secretário de Saúde e do diretor-presidente do Iges-DF.
Além disso, para melhorar a rotatividade de leitos, o GDF autorizou a ampliação do número de vagas no serviço de home care, de 80 para 100 pacientes, beneficiando 16 pessoas que estavam nos hospitais e atendiam aos critérios previstos no programa.
Fonte: Agência Brasília