Estou com IPVA 2020 atrasado, como faço para pagar?



Por Amarildo Mota


Em tempos de coronavírus, estar com o IPVA atrasado pode significar dores de cabeça para os motoristas. Com a chegada da pandemia em todo o território nacional, muitos cidadãos estão deixando de lado a prestação de contas de alguns tributos. Muitos alegam que há um medo de ir até agências bancárias para poder fazer a prestação de contas. No entanto, é importante ressaltar que, mesmo sob o período da quarentena, os carnês de pagamentos podem ser gerados e pagos online.  
Com a amplificação do isolamento social nas principais capitais do país e demais cidades do interior. A Secretaria da Fazenda e o Detran estão reforçando o atendimento online.
Quem estiver com o IPVA atrasado e desejar colocar as tributações em dia, pode acessar os portais de ambos os órgãos e emitir os carnês gratuitamente. Para isso é preciso ter em mãos o número do Renavam do veículo e instalar, no telefone, o aplicativo da sua instituição financeira.  
O procedimento é simples. No site da Secretaria, basta ir no ‘Menu’ e digitar a opção IPVA. Nela, você encontrará a aba ‘emitir guia de pagamento’ e deverá informar o número de registro do veículo.  
Já do Detran, é preciso ir até o site do órgão no estado onde o carro está registrado. Ou seja, para quem mora em Recife, por exemplo, o link de acesso deve ser o do Detran PE.
Nele, selecione a aba ‘Como Fazer’, depois vá até a opção ‘Licenciamento/IPVA’ e clique em ‘Pagamento Direto’. Basta informar o número do Renavam e imprimir o carnê.  

Multas e juros  

Para quem estiver com os boletos em atrasos, ao gerar a nova guia o usuário já terá acesso aos encargos adicionais. Ele deverá ficar atento a data de vencimento presente no documento. Pois, se ultrapassada, precisará solicitar a terceira via do boleto. Os valores variam de acordo com o tipo do imóvel e com as taxações aplicadas por região.  

Em caso de inadimplência do IPVA


Aqueles que não pagarem o IPVA ficarão sujeitos a terem os veículos suspensos. Isso acontece porque, apesar do atraso do tributo não retirar o automóvel, o mesmo não pode ter a sua documentação (CRLV) atualizada, o que o impossibilita de circular em todo o território nacional.  

Fonte: Fdr