Sobe para 12 número de casos suspeitos de coronavírus no DF, diz Ministério da Saúde

É assim que o coronavírus é visto no microscópio — Foto: Getty Images via B

Até a última sexta-feira (28), eram cinco casos suspeitos na capital. Número foi confirmado pelo governo federal nesta segunda (2).


O Ministério da Saúde informou, nesta segunda-feira (2), que subiu para 12 o número de casos suspeitos de coronavírus no Distrito Federal. Até a última sexta-feira (28), a pasta contabilizava cinco casos suspeitos na capital, enquanto a Secretaria de Saúde do DF falava em seis ocorrências.
Ainda de acordo com o ministério, nenhum caso da doença foi confirmado em Brasília e outros três acabaram descartados. Na sexta, o governador Ibaneis Rocha (MDB) decretou estado de emergência na saúde local por "risco de pandemia" do novo vírus.
O Ministério da Saúde também informou que o DF está entre as unidades da federação que vai receber, a partir de quarta (4), kits com exames para diagnóstico do Covid-19. Ao todo, serão 10 mil testes enviados a 14 estados além do DF.
Por conta do novo vírus, a campanha de vacinação contra a gripe foi antecipada. Na capital, os trabalhos começam em 23 de março.
Inicialmente, a previsão era de que o início seria apenas na segunda quinzena de abril. A Secretaria de Saúde do DF disse que ainda não tem detalhes da quantidade de vacinas que serão disponibilizadas.
O Governo do DF instaurou dois Comitês de Operações Emergenciais (COEs) para acompanhar suspeitas de coronavírus. Um é coordenado pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), que adotou o Hospital de Base como unidade de referência para atendimentos.
O outro, vinculado à Secretaria de Saúde e chamado de COE-COVID-19-DF, reúne profissionais selecionados de áreas estratégicas da pasta. Entre as atribuições, os servidores acompanham as medidas adotadas no país para combate à doença.
Veja algumas delas:
  • Analisar os padrões de ocorrência, distribuição e confirmação dos casos suspeitos de Covid19, ocorridos no DF
  • Elaborar os fluxos e protocolos de vigilância, assistência e laboratório alinhados às diretrizes do Ministério da Saúde
  • Organizar ações que visem a capacitação dos servidores da rede pública e das unidades privadas
  • Orientar gestores da rede pública com informações técnicas relacionadas ao assunto visando a adoção de medidas oportunas e tomada de decisões
Além do grupo de trabalho, o DF lançou um plano de contingência que será aplicado caso algum paciente tenha a doença na capital. O texto prevê o encaminhamento para isolamento no Hospital Regional da Asa Norte (HRAN).
http://g1.globo.com/distrito-federal/