Por: Amarildo Mota

Coronavírus: a pandemia está ‘acelerando’, alerta OMS


Em apenas um dia, 26.096 novos casos de Covid-19 foram registrados no mundo; equipamentos e kits de diagnósticos serão enviados à Síria
Com 26.096 novos casos de Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, em um único dia, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, disse nesta segunda-feira, 23, que a pandemia está “acelerando” sua propagação.
Adhanom pediu o compromisso dos políticos e autoridades mundiais com o combate à epidemia e afirmou que irá se dirigir aos líderes do G20 nesta semana para pedir que trabalhem juntos no aumento da produção de equipamentos de proteção para os profissionais de saúde. O G20, grupo das sete economias mais industrializadas do mundo, se reunirá por videoconferência.
A pandemia já se espalhou em quase todos os países do mundo. Há 353.692 casos e 15.430 mortes, segundo levantamento em tempo real da Johns Hopkins University. Em países nos quais a situação é pior, como na Itália e Espanha, além da falta de leitos e equipamentos, os profissionais da saúde começam a também serem afetados pela doença.

Se há colapso no sistema de saúde em países desenvolvidos, em regiões com pouca ou nenhuma infraestrutura na área da saúde a situação será ainda mais dramática. A OMS já havia avisado o continente africano a se preparar para o pior. As atenções da Organização também estão postas na Síria, país ainda conflagradaopor guerra civil onde o primeiro caso de Covid-19 foi diagnosticado no domingo 22.
Afetada por uma guerra que dura desde 2011, a Síria começará a receber 300 kits de diagnóstico da OMS até a quinta-feira, 26, segundo o diretor-geral. Adhanom afirmou temer uma nova crise humanitária no país.
Sem dar prazo, a OMS planeja entregar mais 2.000 kits extras do exame e um suprimento de 10.000 máscaras cirúrgicas e 500 respiradores. Foram mobilizados cerca de 1.000 profissionais de saúde. Os recursos serão alocados em três hospitais no país, nos quais já estão disponíveis leitos de UTI, afirmou o porta-voz da Organização, Hedinn Halldorsson.
Fonte: Veja