FGTS ainda permite saque de até R$998 por conta! Saiba como fazer



Por Amarildo Mota


Trabalhadores que ainda não sacaram o FGTS precisam ficar atentos. Encerra-se na próxima semana, no dia 31, o prazo para receber os R$ 998 referente a modalidade imediata. Os pagamentos estão sendo realizados pela Caixa Econômica Federal, com valores que variam a depender das condições do segurado.
Para poder receber, é preciso estar registrado no FGTS há pelo menos 5 anos e apresentar um histórico trabalhista.
Quem for correntista da Caixa Econômica, precisará apenas ir até um caixa eletrônico e sacar com o cartão. No entanto, aqueles que tiverem conta poupança autorizar o depósito e na sequência retirar o valor.
Por fim, os brasileiros que não possuem vinculo qualquer, devem receber nos guichês de atendimento do mesmo banco ou então nas unidades das Casas Lotéricas. Para isso, é preciso ter em mãos um documento oficial com foto e o número do NIS.

Valor de saque do FGTS

A quantia vai variar de acordo com os registros trabalhistas do beneficiário. Na função imediato, é possível que o mesmo trabalhador tenha acesso a mais de um pagamento, desde que ele possua registros inativos no seu FGTS.
As contas ativas são referentes ao serviço atual que está em validação na carteira. Já as inativas dizem respeito a registros antigos em que ainda há a possibilidade de saque, mas que não existem depósitos mensais.
Tento ambas as modalidades, o beneficiário poderá sacar de forma duplicada os pagamentos. No entanto, eles devem ser retirados separadamente.
Para quem até junho de 2019, tinha até R$ 998 no FGTS, o valor a ser sacado será a quantia total. Já para os demais, o pagamento ficará dentro do limite de até R$500. É válido ressaltar que a definição dessa quantia é feita por conta, o que significa que:
Um trabalhador que possuí na sua conta ativa R$1.780,00 e no fundo inativo somou R$680,00. Poderá receber da primeira conta até R$500, que é o limite máximo para esse caso. E na outra conta vai sacar todo o valor.
As contas ativas e inativas dependem do quantitativo registrado no período de validação e aprovação da medida.
Fonte: Fdr