Águas Claras é a 3ª cidade do DF com mais casos de coronavírus



Por: Amarildo Mota

Águas Claras é a terceira cidade com maior número de casos confirmados de coronavírus no Distrito Federal. Segundo o balanço divulgado neste domingo (29/03) pela Secretaria de Saúde, a região computou cinco novos registros da doença nas últimas 24 horas.
Agora, a cidade tem 31 pacientes. Eram 26 moradores infectados na noite de sábado (28/03). Dos 298 registros da doença no DF, 270 enfermos declararam seus endereços.
Segundo balanço da Secretaria de Saúde (SES-DF), a região com maior incidência da doença é o Lago Sul. São 169,6 casos por 100 mil habitantes.

O Plano Piloto, por sua vez, segue sendo a parte do DF com maior número de pacientes: 87 moradores infectados.
Confira o ranking das cidades com mais casos:
– Plano Piloto: 87 registros;
– Lago Sul: 51 registros;
– Águas Claras: 31 registros;
– Sudoeste e Octogonal: 28 registros;
– Guará: 13 registros;
– Lago Norte: 9 registros.
Maior do país
Os números colocam a capital do país como a unidade da federação com maior taxa de incidência de coronavírus do país. A informação consta em relação de dados divulgados pelo Ministério da Saúde neste domingo (29/03).
De acordo com a pasta, a taxa de incidência é de 9,5 casos para cada 100 mil habitantes. No Brasil, depois do DF, aparecem o Acre e o Ceará: ambos com taxa de 3,8 casos para 100 mil habitantes.
Do total de registros, 134 infectados estão recuperados. Há pacientes com infecções leves, em isolamento domiciliar, e 18 graves, sendo 13 em situação crítica. Outros 72 pacientes estão sendo investigados com suspeita da doença.
Primeira morte
Aos 61 anos, Viviane Rocha é a primeira paciente morta por complicações provocadas pelo novo coronavírus no Distrito Federal. O óbito foi registrado na última segunda (23/03) e confirmado pela Secretaria de Saúde penas neste domingo (29/03).
A confirmação da causa da morte aguardava resultado de contraprova, realizada pela Fiocruz, no Rio de Janeiro.
Graduada em enfermagem, ela era assessora técnica do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Viviane deu entrada no Hran em 22 de março, com quadro de febre, desconforto respiratório e histórico de contato com paciente infectado pela Covid-19 que veio de São Paulo.
Viviane Rocha tinha comorbidades, de acordo com boletim médico. Sofria de obesidade mórbida, hipertensão arterial sem tratamento e era ex-tabagista. O quadro evoluiu para parada cardiorrespiratória às 11h40 do dia 23 de março
Fonte