Número de ocorrências policiais cai 18,7% este ano

Nos quatro dias de folia, SSP contabilizou apenas 601 episódios que merecessem registro – a maioria, por furto de celular e uso ou porte de drogas

Estratégia de policiamento, o uso da tecnologia e o empenho das forças de segurança garantiram ao Distrito Federal um dos carnavais mais seguros do país. Nos quatro dias de folia, 601 ocorrências foram registradas nas delegacias de polícia – do tráfico e uso de drogas ao extravio de documentos; de lesão corporal a apreensão de armas brancas. O número é 18,7% menor que o do Carnaval do ano passado, com 739 registros. Nenhum crime grave relacionado às festividades foi registrado.


O furto de celular foi o ato mais recorrente, com 196 registros – número menor do que o registrado no mesmo período do ano passado. A segunda modalidade de crime com mais registros foi o uso e posse de drogas. No Carnaval do ano passado, foram 34 registros; este ano, 78. Não houve registro de estupro nos quatro dias de Carnaval de 2020.

Foto: Lúcio Bernardo Jr..

Uma das novidades deste ano foi a instalação da Cidade da Segurança Pública, na área central de Brasília – local que concentrou a maior parte dos 203 blocos cadastrados no DF. Coordenada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP/DF), a cidade foi ponto-base das operações das forças e de outros órgãos do governo. As novas estratégias incluíram ainda o uso de drones da Polícia Militar e câmeras de reconhecimento facial da Polícia Civil.

Concentrar as ações, de acordo com o secretário de Segurança Pública, Anderson Torres, foi a principal engrenagem para prevenir a criminalidade no carnaval. “Adotamos estratégias operacionais que trouxeram resultado rápido, como as linhas de abordagem da PMDF, que foi incansável no trabalho próximo aos blocos”, diz ele. “Tivemos ainda o Detran e o CPTrans atuando juntos na fiscalização de trânsito. O registro de ocorrências e a emissão de laudos definitivos da PCDF também foram uma importante ferramenta para manter o policiamento no local dos eventos”, reforça Torres.

Foto: Lúcio Bernardo Jr.

Torres destacou ainda o videomonitoramento feito pelo Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob), que funcionou por 24 horas no apoio às ações de segurança e de governo nos eventos de carnaval, e a atuação do Corpo de Bombeiros do DF, que realizou 74 atendimentos à população durante os quatro dias de carnaval. 

A Defesa Civil, por sua vez, fez 74 vistorias preventivas em instalações durante o período. “Todas as Forças imbuídas do mesmo propósito que foi de manter a paz e a tranquilidade do Carnaval das famílias do DF. E conseguimos”, declara Torres.