Trabalho das doulas nos hospitais será normatizado

Grupo de trabalho estudará como adequar as legislações para a atuação das profissionais nas maternidades

Resultado de imagem para doulas
A Subsecretaria de Atenção Integral à Saúde criou um Grupo de Trabalho para normatizar a entrada das doulas na rede pública de saúde do Distrito Federal. A Ordem de Serviço Nº 239 foi publicada nesta quinta-feira (2) no Diário Oficial do Distrito Federal e visa elaborar uma Nota Técnica que faça adequações nas legislações vigentes.

“A iniciativa vai normatizar a entrada das doulas na rede para uma oferta de suporte emocional, físico e de informação. As doulas cumprem um papel importante ao proporcionar confiança e utilizar técnicas de alívio da dor, bem como oferecer recursos facilitadores para o parto”, destaca a coordenadora do Grupo de Trabalho, Gabrielle Medeiros.

O grupo deverá realizar reuniões semanalmente para revisar, sistematizar e organizar os protocolos e as legislações Estaduais e Federais vigentes, elaborar e adequar diretrizes ao contexto do Distrito Federal nos serviços de saúde da rede.

Foram designadas para compor o Grupo de Trabalho representantes das áreas técnicas e Regiões de Saúde relacionadas, que terão que apresentar a Nota Técnica aprovada em até 60 dias, a contar desta quinta-feira (2).

Ação multidisciplinar
O trabalho das doulas vem complementar o trabalho da equipe multidisciplinar, ouvindo as demandas da parturiente, dando suporte físico e emocional. As doulas são mulheres treinadas para acompanhar as gestantes do início da gravidez até pouco depois do parto, dando informação, apoio para planejamento do parto e preparação física e mental ao casal e também para orientar nos primeiros cuidados com o bebê.
s do Distrito Federal ” esquerda_direita_centro=”esquerda”]

“A nossa presença acalma as mulheres, diminuindo as possíveis complicações. Há um trabalho em conjunto entre a mulher, a doula, o acompanhante e a equipe de saúde. Enquanto a equipe de profissionais de saúde acompanha as questões técnicas, as doulas acompanham a mulher em suas necessidades físicas e emocionais, como uma posição melhor, descansar e falar”, ressalta a diretora da Associação de Doulas do Distrito Federal, Ladyane Ramos.

Acordo de cooperação
O Hospital Regional de Ceilândia (HRC) se destaca na linha de cuidados materno-infantis com os partos acompanhado por doulas. A iniciativa é possível por causa de um acordo de cooperação técnica celebrado entre a Secretaria de Saúde e da Associação de Doulas do Distrito Federal para a prestação de serviços voluntários às usuárias do HRC.

“No HRC, qualquer mulher pode ser atendida. Muitas pacientes já conhecem e procuram por nosso atendimento. Buscamos formar um vínculo através da conversa, do toque e do olhar. Vamos atendendo as pacientes com um suporte emocional, que acalmam a paciente e o acompanhante”, pontua Ladyane Ramos. 

Neste ano, o trabalho das doulas voluntárias deve ser implementado, ainda, nos hospitais regionais da Asa Norte, Sobradinho e Samambaia, além de Hospital Materno Infantil e Casa de Parto de São Sebastião.