Ibaneis anuncia cartão para diretor de escola pagar serviços em parceria com BRB

Com o novo instrumento haverá maior facilidade, agilidade, controle e transparência no processo de compras das escolas. Além disso, as escolas do DF passaram por reformas e quando for caso poderão ser derrubadas e construídas unidades

Outra ação é preferencialmente construir escolas em regiões que atendam os alunos de modo a não percorrerem longas distâncias até a unidade escolar. 

Por Josiel Ferreira e Maurício Nogueira

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, agora há pouco anunciou novidades para a educação no DF, no Palácio do Buriti.

Em parceria com o Sebrae foram criadas algumas modalidades de cartões Sebrae, BRB, Secretaria de Educação para atendimento para a execução do CEdap. “Primeiro porque é difícil prestar contas para os diretores. A segunda é a questão do cadastramento do serviço. Fizemos uma pesquisa juntamente com o Sebrae, cadastramos todos os prestadores de serviço e todas as lojas de material de construção, feita a pesquisa de preço através do Sebrae.”

De acordo com Ibaneis, para o ano que vem serão emitidos cartão Cedap para o diretor.

“No momento em que ele chegar na loja, vai ter as modalidades se é compra, se é serviço que está sendo feito. Ele vai passar o cartão (para efetuar a compra) aquilo cai direto no sistema de automação do BRB. Ele vai tirar uma foto da nota fiscal ou scanear e vai mandar direto para o BRB. O BRB vai pegar a prestação de contas pronta só para o diretor fazer a assinatura. Esperamos, com isso, desburocratizar, agilizar o serviço todo e dar mais agilidade aqueles pequenos serviços que são feitos pelos diretores e são necessários”, detalhou o governador

Ibaneis afirmou que pediu ao secretário André Clemente a segunda parcela que não foi liberada. Ele contou que foi concluída a reunião com os deputados em relação ao cancelamento de algumas emendas que não foram possíveis de executar. “A gente deve estar liberando essa parcela o mais tardar até segunda-feira para que os diretores façam os pagamentos e que as empresas que fizeram tenha o recebimento tranquilizado”, disse.

Novas escolas

Serão realizadas licitações para a construção de unidades escolares. Ele admitiu que a situação é tão críticas de algumas escolas que preciso “colocar no chão” e construir uma outra. “Não tem mais como reformar”, lamentou.

No momento, a Secretaria de Educação realiza um levantamento junto com empresas privadas de todas as obras, segundo Ibaneis. A partir do ano que vem, quando forem finalizados os processos licitatórios as ações serão mais efetivas. O governador adiantou que no local onde os prédios que tiverem que ser derrubados, serão erguidas escolas modulares e em seguida terá inicio a construção do prédio da nova escola.

Um outro problema enfrentado pelos alunos das escolas é a questão das longas distâncias de casa para o estabelecimento de ensino. Isso incomoda muito as crianças, segundo disse Ibaneis Rocha. O que será feito é um levantamento para a possibilidade de instalar escolas próximas às casas dos alunos. Nas regiões onde não existem escolas serão construídas. No Itapoã Parque vai ser concluída e entregue. Paranoá 4 já foi obtida a aprovação de recursos. “A gente quer avançar muito nessa área educacional”, anunciou.