Por: Amarildo Mota 23/05/2020.

O pensamento e a postura, desconexa, não é  privilégio de pobre, mal educado e sem cultura educacional, é  de todos que querem fazer de você  ou de nós um alienado desses pensamentos. Isso é independente, não estou respondendo a nenhuma postagem, explico  , para que não haja traumas de preciosismo, coloquial.

Uma certa vez, eu estava em um restaurante em Teresina-PI,  e tinha 22 anos  na idade,  falava muito,  um amigo me colocou diante dessa palavra, que me segue para o resto da vida . Como ainda hoje, acabara de ser aprovado em um concurso do Sesc,  muito acirrado, como Assistente administrativo, depois vi a ser nomeado chefe de Setor pessoal, da unidade, que hoje corresponde a gerente de recursos humanos, e lá,  depois de vários cursos e treinamentos , por várias partes do Brasil, aprendi uma palavra de um poder inigualável, de força ímpar e sem igual, DISCERNIMENTO, essa palavra é  a chave para nortear nossas vidas, principalmente do jornalista,  que é  tido e  reconhecido, como formador de opinião. Fica a dica.


Por: Amarildo Mota


Em entrevista coletiva ocorrida nesta sexta-feira (22), o presidente da Câmara Legislativa, Rafael Prudente (MDB), anunciou que vai excluir a participação de ex-deputados distritais do Plano de Saúde da Casa. A decisão foi tomada pela mesa-diretora em decorrência da equivocada  interpretação da proposta aprovada na última terça-feira.

Rafael Prudente assegurou que a atual gestão tem sido marcada pela transparência, pela legalidade e pela contenção de despesas e que nada é votado as escondidas na Câmara Legislativa.
Ele afirmou que a proposta do plano de saúde foi aprovada dentro da legalidade na última terça-feira com o voto da maioria dos deputados e que todos os parlamentares sabiam o que estavam votando.
“Não houve nenhum tipo de manobra como foi publicado por aí e nem eu tenho a capacidade para enganar 23 deputados”, enfatizou.
“Aqui nada é definitivo e decisões tomadas podem ser refeitas”, reiterou ao afirmar que na reunião remota da próxima terça-feira (26) o plenário vai excluir ex-deputados de fazer parte do Fascal, o fundo de assistência à saúde da CLDF.
Prudente explicou que o recuo se deve a um equívoco na compreensão da opinião pública e que a resolução 40, aprovada na última sessão, sofrerá alterações vetando a possibilidade de ex-distritais terem direito ao plano de saúde.
O deputado Rodrigo Delmasso, que comanda a Vice-Presidência da Câmara Legislativa, órgão que administra o Fundo de Assistência a Saúde, disse que o Fascal tinha um deficit de mais de 20 milhões de reais por ano, prejuízo que a Câmara tinha que cobrir.
O deputado afirmou ainda que a nova formatação feita sobre o Fascal a Câmara deixará de aportar recursos financeiros como vinha ocorrendo há anos.
Segundo Delmasso, a economia que vem sendo feita está possibilitando a Casa devolver recursos públicos aos cofres do GDF como os R$60 milhões empregados na compra de respiradores e outros equipamentos para o combate ao coronavírus.
Rodrigo Delmasso explicou ainda que pela primeira vez na história do Fascal o plano de saúde fechou o ano com um superavit de mais de R$3 milhões de reais.
“O plano não deu prejuízo e a Câmara não tirou dinheiro do cofre para cobrir rombo”, disse.
Delmasso defendeu que a proposta seja debatida entre os deputados e setores da sociedade civil além dos órgãos de fiscalização e controle do DF.



Casa Civil avalia que decreto precisa ser cumprido em todos os ambientes onde há circulação de pessoas. Síndicos devem ajudar governo na fiscalização



O uso de máscaras em áreas públicas é obrigatório no Distrito Federal, desde o dia 30 de abril, com o objetivo de ajudar a conter a proliferação da Covid-19. Nesta sexta-feira (22), a Casa Civil do DF emitiu parecer em que estende a medida, também, para áreas comuns dos condomínios fechados. A orientação vale durante todo o período de pandemia. 

“Em que pese as áreas comuns dos condomínios residenciais não serem áreas públicas stricto sensu, o são de forma ampla, lato sensu, uma vez que nelas não circulam somente os moradores dos referidos condomínios, mas, também, empregados destes, prestadores de serviços, entre outros”, destaca o parecer assinado pelo secretário-chefe da Casa Civil, Valdetário Andrade Monteiro.

Segundo o texto, o Decreto nº 40.468/2020, que define a obrigação do uso de máscaras em áreas públicas, se aplica totalmente às áreas comuns dos condomínios residenciais, cabendo a fiscalização do cumprimento da norma não somente ao Poder Público. “Mas, também, aos síndicos, nos termos do inciso IV, do art. 1.336, combinado com o art. 1.348, ambos da Lei nº 10.406/2002 – Código Civil”, descreve.

O texto destaca ainda o risco de contaminação nesses locais: “Os elevadores fazem parte de tais áreas comuns e, como já apontado por diversos estudos de infectologistas de todo o mundo, são locais de grande risco de contaminação pelo novo coronavírus, uma vez que são recintos em que há aglomeração de pessoas e pouca circulação do ar”. Entre os espaços de risco incluem-se, ainda, os pilotis, parquinhos, ruas, hall de acesso e todas as áreas onde há trânsito de pessoas.

Segundo a Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais (Abrassp), no Distrito Federal a norma afeta diretamente cerca de 17 mil condomínios. “São aproximadamente 11 mil verticais, de apartamentos, e outros 6 mil horizontais. Esse últimos, de casas, principalmente na região de Vicente Pires, São Sebastião, Sobradinho e Arniqueira”, contabiliza o presidente da entidade, Paulo Roberto Melo.

Para ele, a definição vai ajudar os síndicos a adotar medidas para reforçar a proteção da comunidade. “Muitos síndicos estão sendo pressionados para abrir áreas comuns como espaços gourmet, academias, piscinas e churrasqueiras. Mas ainda não é hora para isto”, completa. Segundo ele, a entidade vai ajudar o governo na divulgação da medida e vai orientar os síndicos a fiscalizar o uso dos equipamentos.

Veja a íntegra do parecer:

Parecer – Obrigatoriedade Uso de Máscaras

RENATA MOURA, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: FREDDY CHARLSON



Por: Amarildo Mota

Já é possível se inscrever no edital de concurso para o Ministério da Justiça. De acordo com o documento, publicado no Diário Oficial da União (DOU), são oferecidas 35 vagas temporárias com salários de R$8,3 mil.
As vagas oferecidas no edital do concurso do Ministério da Justiça 2020 serão oferecidas para os cargos de Analista de Governança de Dados – Big Data (13 vagas), Cientista de Dados – Big Data (12) e Engenheiro de Dados – Big Data (10).
Para concorrer a uma das vagas no concurso do MJ, em todos os cargos citados acima, o candidato deverá ter nível superior ou pós-graduação na área de Informática/Computação e experiência superior a cinco anos no ramo. Além disso, o aprovado deverá ter disponibilidade para atuar em Brasília, no Distrito Federal.

De acordo com o edital do concurso do Ministério da Justiça, os aprovados vão atuar por 40 horas semanais. Os profissionais serão contratados sob regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), no quadro de profissionais do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Inscrições Concurso Ministério da Justiça 2020

Os interessados em concorrer a uma das vagas no concurso do Ministério da Justiça deverão se inscrever entre 11 de maio e 23 horas e 59 minutos do dia 15 de junho de 2020, no site da banca (https://www.institutoaocp.org.br/concursos.jsp). A taxa de inscrição vai custar R$60.
Segundo o edital, quem estiver inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) será possível solicitar a isenção. Os pedidos podem ser feitos até dia 13 de maio.

Provas Concurso Ministério da Justiça 2020

concurso do Ministério da Justiça 2020 vai contar com provas objetivas e títulos. Além disso, o certame vai contar com investigação social. A primeira fase do certame vai contar com exame de múltipla escolha.
A avaliação objetiva vai ser aplicada no dia 02 de agosto de 2020, em locais e horários que serão divulgados de maneira oportuna. As avaliações vão ser aplicadas em Brasília.
Serão oferecidas, ao todo, 60 questões, distribuídas entre as matérias de Língua Portuguesa (10 questões); Inglês (05); Raciocínio Lógico (05); e Conhecimentos Específicos de Informática (40).
O candidato deverá acertar no mínimo 1 (uma) questão em cada área de conhecimento, e obter 40% (quarenta por cento) ou mais do total de pontos previstos para Conhecimentos Específicos de Informática, e 30% (trinta por cento) ou mais do total de pontos previstos para o conjunto das demais áreas de conhecimento, para não ser eliminado do Processo Seletivo Simplificado, além de não ser eliminado por outros critérios estabelecidos neste Edital.
Segundo o edital, os exames de títulos vão ser realizados apenas para quem for aprovado na prova objetiva, de acordo com o limite de classificação:
  • analista de governança de dados: 130 aprovados na ampla concorrência;
  • cientista de dados: 120 aprovados; e
  • engenheiro de dados (os 100 melhores classificados).
A avaliação objetiva vai ser aplicada no dia 02 de agosto de 2020, em locais e horários que serão divulgados de maneira oportuna. As avaliações vão ser aplicadas em Brasília.
Serão oferecidas, ao todo, 60 questões, distribuídas entre as matérias de Língua Portuguesa (10 questões); Inglês (05); Raciocínio Lógico (05); e Conhecimentos Específicos de Informática (40).
O candidato deverá acertar no mínimo 1 (uma) questão em cada área de conhecimento, e obter 40% (quarenta por cento) ou mais do total de pontos previstos para Conhecimentos Específicos de Informática, e 30% (trinta por cento) ou mais do total de pontos previstos para o conjunto das demais áreas de conhecimento, para não ser eliminado do Processo Seletivo Simplificado, além de não ser eliminado por outros critérios estabelecidos neste Edital.
Segundo o edital, os exames de títulos vão ser realizados apenas para quem for aprovado na prova objetiva, de acordo com o limite de classificação:
  • analista de governança de dados: 130 aprovados na ampla concorrência;
  • cientista de dados: 120 aprovados; e
  • engenheiro de dados (os 100 melhores classificados).
A prova de títulos ainda não tem data para acontece. Segundo o edital, essa fase vai ter 10 pontos no total, de caráter eliminatório e classificatório, não podendo eliminar quem não participou da prova. O resultado, conforme informado no edital, vai ser divulgado em momento posterior
Fonte: Concursos 



O deputado distrital, Robério Negreiros (PSD), apresentou, nesta terça-feira (19), na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), Projeto de Lei que cria “Fila Única Emergencial” para a gestão dos leitos hospitalares no DF


Foto: João de Castro.

A medida pretende garantir o acesso universal e igualitário para os pacientes com COVID-19, junto as redes hospitalares pública e privada. O Projeto assegura também a utilização, controle e gerenciamento pelo Sistema Único de Saúde de toda capacidade hospitalar, neste período de pandemia do novo coronavírus.


De acordo com o distrital, Robério Negreiros, a proposta tem por objetivo conceder igualdade de tratamento ás pessoas atingidas pela Covid-19 e que necessitam de um leito de internação, independentemente, de sua condição financeira e de possuir plano de assistência à saúde, além de garantir o direito à vida, à saúde e à dignidade humana. “A prioridade no atendimento deverá ser de qualquer pessoa com COVID-19, em estado grave. Diariamente, somos alertados quanto ao risco de que o sistema de saúde poderá entrar em colapso. Portanto, é inadmissível pessoas morrerem por não haver leitos de UTI em hospitais públicos, quando há leitos vagos em hospitais privados”, frisou o parlamentar.

Dez regiões administrativas ganharam esse equipamento urbano no primeiro semestre. Novacap já investiu mais de R$ 1,5 milhão em 167 mil metros quadrados


Fotos: Lúcio Bernardo Jr.

A Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) construiu, desde o o início do ano, 167 mil metros quadrados de calçadas, que ajudam a promover a harmonia entre carros e pedestres em meio ao trânsito nas cidades. Com esse trabalho, o Governo do Distrito Federal tem contribuído para o bom convívio entre máquinas e pessoas.

As obras estão por toda parte. De acordo com a Novacap, foram investidos mais de R$ 1,5 milhão. Só em Samambaia, este ano, a companhia entregou mais de mil metros quadrados de passeio público aberto entre as árvores das quadras 431 e 550.

Samambaia não foi, porém, a única contemplada com o equipamento público. Conforme a tabela de obras realizadas pela Novacap, outras dez regiões administrativas ganharam calçadas neste primeiro semestre: Santa Maria, Ceilândia, Brazlândia, Plano Piloto, Taguatinga, São Sebastião, Jardim Botânico, Octogonal, Recantos das Emas e Águas Claras.

O serviço é de competência da Diretoria de Urbanização, gerida pelo diretor Sérgio Antunes Lemos. Em alguns casos, como nas QNOs 5 e 7 de Ceilândia, a calçada teve de ser reconstruída devido ao mau estado de conservação em que se encontrava. Agora, de um lado e do outro do canteiro central que divide as duas quadras, há calçada suficiente para pedestres não precisarem se arriscar em meio ao fluxo intenso de veículos vindo da BR-070, um risco para os moradores.

Que o diga Sebastião Valter Fernandes da Silva, 32 anos. O morador da quadra conta que quase foi atropelado certa vez ao tentar caminhar entre os carros. Risco que não corre mais. Sebastião elogiou o tamanho das calçadas. “Bem melhor do que estava antes. São mais largas. Eu costumo ir para o parque (Recreativo do Setor O) a pé ou de bicicleta. Antes era um desafio passar aqui”, relata.

A verba investida na construção de calçadas em Ceilândia foi de R$ 3,4 milhões. As obras ainda não acabaram. Quem passar pela QNP 18, por exemplo, certamente notará que, ao longo dos conjuntos A e K, homens e tratores trabalham diuturnamente na construção de 600 metros quadrados de calçadas.

O “calçadão”, como já é chamado pela vizinhança, foi construído paralelamente à ciclovia. Esta era justamente uma queixa dos moradores. Os pedestres reclamavam que não era nada seguro dividir a pista para ciclistas.Helen Nunes Silva, 32 anos, moradora do conjunto H, aprovou a iniciativa do governo. 

“A gente corre risco de ser atropelado andando na ciclovia por algum ciclista. Eles andam numa velocidade alta”, reclama Helen Nunes Silva, 32 anos. Acompanhada da filha Vitória Nunes, 14, a moradora do conjunto H aprovou a inciativa do governo de dedicar uma passagem exclusiva para pedestres.

Enquanto não fica pronta, a obra na QNP 18 virou atração para a criançada. Alguns já se veem caminhando ali. É o caso do estudante Breno Martins Silva Araújo, 14, que mora em frente, no Conjunto J. “Vou poder andar com meu irmãozinho, de oito anos. Na ciclovia era muito perigoso”, fala.



























Fotos: Lúcio Bernardo Jr.

Planejamento ficará em consulta para a comunidade escolar até domingo, 24 de maio



Todo o planejamento da Secretaria de Educação (SEEDF) quanto aos aspectos pedagógicos sobre o retorno das aulas foi apresentado na noite desta quarta-feira (20) pelo coordenador do programa Escola em Casa DF, David Nogueira. A transmissão foi acompanhada por quase 9 mil pessoas, especialmente professores, gestores, pais e estudantes.

A comunidade escolar poderá enviar suas contribuições à consulta pública sobre o plano até o próximo domingo (24).

Três questões estão pacificadas: a data do retorno será definida pelo governador Ibaneis Rocha com o aval da Secretaria de Saúde; as aulas presenciais serão retomadas de forma gradual, conforme permita a evolução da Covid-19; e seguirão mescladas com o ensino mediado durante o tempo necessário, para evitar aglomerações, em razão da pandemia.

Clique aqui e veja o plano que foi apresentado em transmissão ao vivo, nas redes sociais da pasta, com o coordenador do Escola em Casa DF.

⇒ Sugestões e críticas podem ser enviadas para este e-mail: consultapublicaseedf@edu.se.df.gov.br

As atividades por meio do ensino mediado serão contabilizadas como dias letivos, tanto pela plataforma Google Sala de Aula como pelas teleaulas. Nos próximos dias, a secretaria disponibilizará pacotes de dados para acesso à plataforma e, também, fechará parcerias para transmissão de conteúdos por, pelo menos, quatro canais de televisão.

Para os estudantes da Educação Infantil, do 1º ao 9º do Ensino Fundamental, da 1ª a 3ª série do Ensino Médio e dos segmentos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), serão veiculadas teleaulas, de segunda a sexta-feira, por pelo menos quatro canais de televisão. Todas as aulas serão ao vivo e, em até 24 horas, serão disponibilizadas via plataforma Google e pelo canal da Secretaria de Educação no Youtube.

Sobre a plataforma, atualmente em uso pelo Ensino Médio, a partir de 30 de maio, a ferramenta será disponibilizada para o Ensino Fundamental. Tanto a plataforma quanto as teleaulas terão conteúdos voltados também à Educação de Jovens e Adultos (EJA), Educação Especial e Ensino em Tempo Integral.
Novo normal

A periodicidade e a organização de entrega de atividades aos estudantes deverão ser definidas pela escola, desde que ocorram no máximo até o fim de cada bimestre. A exceção é o período inicial.

Após 15 dias do início do período de validação das aulas, em uma busca ativa das aprendizagens, os professores deverão fazer uma análise diagnóstica para identificar estudantes que estejam enfrentando dificuldades relacionadas às atividades mediadas.

Não haverá realização de provas tradicionais e vigiadas. Cada professor irá estabelecer seus critérios de avaliação. A logística da entrega do material impresso para os estudantes que não conseguirem acessar a plataforma será articulada pela SEEDF junto às regionais de ensino e escolas.
Plano

O plano de retorno às aulas foi entregue ao governador Ibaneis Rocha, em 30 de abril, e seguiu para análise da Secretaria de Saúde.

A gestão estratégica para o retorno na rede pública considera aspectos essenciais: cenários de retorno gradual e não presencial (considerando-se a evolução da pandemia); proposição de atividades não presenciais, programação televisiva e uso de plataforma até o fim do ano; protocolos para garantir a segurança em saúde no retorno; e orientações às escolas e reorganização do trabalho pedagógico.


As condições básicas para a volta das atividades pressupõem: medição periódica da temperatura de estudantes, de professores e demais profissionais que atuam na escola; garantia de que estudantes e profissionais do grupo de risco permaneçam em casa; utilização de máscaras por todos no ambiente escolar; condições para que todos possam seguir os protocolos de higiene no ambiente escolar, principalmente lavar as mãos; distância segura entre as pessoas.

O DER-DF vai receber R$ 44,5 milhões para a construção de viadutos, como o de Sobradinho, e para a manutenção de sinalização horizontal e vertical das rodovias do DF


Foto: Julio de Oliveira.

Em sessão extraordinária remota da Câmara Legislativa, nesta terça-feira (19), os deputados distritais aprovaram a abertura de, aproximadamente, R$ 53,5 milhões em créditos especiais à Lei Orçamentária Anual (LOA) deste ano. O montante, destinado a ações e áreas variadas, resulta da soma dos recursos previstos em quatro projetos de lei do Executivo, todos aprovados em primeiro e segundo turno, nesta tarde, pelo plenário da Casa.

O maior valor – R$ 44,5 milhões – consta do projeto de lei nº 1.163/20, o qual destina o montante para o Departamento de Estradas e Rodagem (DER) do Distrito Federal, para a construção de viadutos, como o de Sobradinho, e para a manutenção de sinalização horizontal e vertical das rodovias do DF. Os recursos, de acordo com a proposta, resultam, em sua maioria, de transferências advindas de emendas parlamentares.

O PL nº 1.160/20, por sua vez, abre crédito especial no valor R$ 3,3 milhões, em favor da Secretaria de Estado de Atendimento Comunitário do DF (Seac). E o PL nº 1.161/20 destina R$ 2,1 milhões para a Secretaria de Educação, para a educação infantil, e R$ 180 mil para ações da Seac.

Por fim, o projeto de lei n° 1.162/20 envolve o montante de R$ 3,3 milhões, os quais foram remanejados para diversas áreas governamentais, a partir de dezenas de emendas acatadas no começo da tarde pela Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) da Casa. Conforme destacou o relator do projeto no colegiado, deputado Agaciel Maia (PL), as emendas são um instrumento previsto nos legislativos locais e federal para para adaptar o orçamento às novas necessidades identificadas pelos parlamentares.


Com a tramitação encerrada na Casa, os projetos retornam ao governador Ibaneis Rocha, para sanção ou veto.

Pontos de coleta serão instalados em mercados, farmácias, padarias e outros comércios essenciais da cidade


Com o apoio do Governo do Distrito Federal, a Administração Regional do Riacho Fundo I lançou nesta quarta-feira (20) a Campanha do Agasalho 2020 – Doar Aquece o Coração. A iniciativa visa arrecadar casacos, cobertores e calçados para doação a pessoas em situação de vulnerabilidade.

Pontos de coleta serão instalados em mercados, farmácias, padarias e outros comércios essenciais da cidade. As doações também podem ser entregues na Administração Regional do Riacho Fundo I.

A administradora Ana Lúcia Melo explica que a Campanha do Agasalho 2020 vai durar até o fim da pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

“É mais uma ação de solidariedade em meio a esse momento tão difícil por que estamos passando. Convidamos toda a população a contribuir com mais este ato de amor ao próximo”, reforça.

Retirada em domicílio

O número de WhatsApp (61) 9 9354-8854 organiza a retirada de doações em domicílio.

Por meio do mesmo número também poderão ser feitos cadastros de pessoas que desejam receber doações de agasalho.



Por: Amarildo Mota

deputado estadual Gil Vianna (PSL-RJ), que morreu na noite desta terça-feira (19) em decorrência de complicações da covid-19, estava sendo tratado com cloroquina, medicamento sobre o qual não há comprovação sobre a eficácia no tratamento da doença.

Segundo a coluna de Lauro Jardim, no jornal O Globo, a administração do medicamento, associado a outros, é protocolo do Hospital da Unimed em que ele estava internado, em Campos dos Goytacazes (RJ), para pacientes de coronavírus em estado grave. 
Leia também: Cloroquina não tem eficácia comprovada contra covid-19, alerta OMS


Sua dedicação pelo povo fluminense, principalmente na luta incansável pela pessoa com deficiência, será lembrada eternamente”, dizia o comunicado na página do deputado no Facebook, confirmando o falecimento. 
A Alerj decretou luto oficial e decretou a suspensão das atividades legislativas por três dias.
Fonte: Correio





Por: Amarildo Mota


DIVULGADO PROTOCOLO QUE LIBERA SUS A FAZER USO DA CLOROQUINA ATÉ EM CASOS MAIS LEVES DO NOVO CORONAVIRUS.


O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (20) o protocolo que libera o SUS para o uso da cloroquina dos casos mais leves até os mais graves da covid-19. 

O protocolo vigente até agora, previa a medicação para os casos  mais graves.
Apesar de não haver comprovação científica de que a cloroquina é capaz de curar a Covid 19, o presidente Jair Bolsonaro, sempre defendeu a mudança do protocolo para o tratamento do novo coronavirus.

Estudos internacionais não encontraram eficácia no remédio, e infectologistas brasileiros não recomendam o uso.

Vale lembrar que um dos motivos que levaram os ex ministros da saúde, Mandetta e Teich abandonarem o governo, foi por não concordarem com o novo protocolo.


No Haná Restaurante Japonês o prato é oferecido em três deliciosos sabores

Quando se fala em Yakisoba, logo se pensa em macarrão e comida japonesa. Em partes a referência está certa. De fato se trata de um “macarrão”. O que poucos sabem é que o prato tem origem chinesa, mas acabou ficando muito popular e ganhando a fama como uma das delícias do Japão.
A iguaria é caracterizada como simples e basicamente é feita com um macarrão especial - à base de farinha de trigo e ovos - e refogado com legumes. Suas diversas variações podem incluir carnes de frango, gado ou porco, como também, camarão, lula e outros frutos do mar. Para a turma vegana, o yakisoba também pode ser feito apenas com vegetais. O prato é bastante temperado e conta com um molho específico (sauce), semelhante ao molho inglês porém, mais espesso.

No Haná Restaurante Japonês é possível solicitar o prato via delivery e recebê-lo no conforto de casa. Os yakisobas da casa são individuais e oferecidos em três sabores:

  • Frango (R$ 38) - frango, macarrão especial, acelga, repolho branco, repolho roxo, cenoura e brócolis;
  • Filet (R$ 43) - filet, macarrão especial, acelga, repolho branco, repolho roxo, cenoura e brócolis. ;
  • Legumes (R$ 34) - macarrão especial, acelga, repolho branco, repolho roxo, cenoura e brócolis.

Para completar a refeição o cliente ainda pode acrescentar ao pedido porções de entradinhas como por exemplo, a porção de Camarão Imperial (10 unidades) - camarão empanado com massa especial a base de batata doce por R$ 25 ou a porção de Rolinho de Queijo (5 unidades) por R$19. 
As solicitações podem ser realizadas pelo  ifood, uber eats ou pelo telefone do restaurante (61) 3244-9999, todos os dias, das 11hs às 22hs. É preciso consultar as áreas disponíveis para entrega e taxas.

Os valores informados no texto podem sofrer alteração sem aviso prévio.  

Conheça a história e origem da palavra

A palavra Yakisoba (yaki = assar, grelhar, soba = macarrão), em seu significado literal é “macarrão frito”. A forma mais correta de escrita é yakisoba, com apenas um “s”. Contudo, apesar de alguns dicionários reconhecerem a grafia com “ss”, esta palavra não consta no vocabulário ortográfico da Academia Brasileira de Letras (ABL).
Os primeiros vestígios referentes ao prato tem registro entre os séculos 17 e 19. Mas foi somente no século 20, logo após o final da Segunda Guerra Mundial, que o prato chinês chamado chao men ganhou uma nova versão e se popularizou no Japão. Na época, por ser um alimento prático e barato, ele era capaz de satisfazer a fome do povo quando era necessário fazer o racionamento de alimentos.

Serviço
Haná Restaurante Japonês

Delivery: pelo ifood, uber eats ou pelo telefone (61) 3244-9999, das 11hs às 22hs, todos os dias.  Consultar taxas e áreas de entrega disponíveis.

Acesse o cardápio



Por: Amarildo Mota


Tem alguma coisa de podre no reino do Brasil, onde o presidente Jair Bolsonaro pode afirmar que a covid-19 é uma "gripezinha", um produto da imaginação histérica dos meios de comunicação", diz o editorial do jornal Le Monde, em sua edição impressa de hoje. Fazendo referência à famosa frase "há algo de podre no reino da Dinamarca", escrita por Shakespeare em 1600 na tragédia "Hamlet", o jornal francês condena com veemência o presidente brasileiro. O diário publicou que Bolsonaro participa de manifestações sem tomar a menor precaução com o distanciamento social, exorta prefeitos e governadores a abandonar as restrições contra o coronavírus e finge que a epidemia está acabando no Brasil.

Ora, em 72 horas, o Brasil ultrapassou 254 mil diagnósticos e se tornou o 3º país com mais casos da covid-19 no mundo, superando o Reino Unido, que tem cerca de 250 mil infectados, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e da Rússia", relata Le Monde. "Tem algo de podre no Brasil quando o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, diz que o coronavírus é resultado de um complô comunista (...) quando o ministro da Saúde Nelson Teich pede demissão no dia em que o país atinge 240 mil casos da covid-19." 

Para muita gente, o Brasil atravessa uma crise que lembra as horas mais sombrias da ditadura militar, destaca o editorial. Mas existe uma diferença importante, reitera: "Enquanto no passado os generais reivindicavam a defesa de uma democracia atacada, o Brasil de Bolsonaro habita um mundo paralelo, um teatro do absurdo onde os fatos e a realidade não existem mais. Nesse universo sob tensão, alimentado por calúnias, incoerências e provocações mortíferas, a opinião se polariza a partir de ideias simplistas, mas falsas"

Risco de novo regime autoritário "O negacionismo alimentado pelo poder (...) e a aposta política inacreditável de Bolsonaro, que pensa que os efeitos devastadores da crise na saúde serão atribuídos a seus opositores, mostra que esse obscuro ex-deputado de extrema direita não tinha nada de um homem de Estado", afirma o jornal. As advertências do diário francês continuam: "Com o apoio de 25% do eleitorado, Bolsonaro sabe que sua margem de manobra é estreita. Depois de praticar o negacionismo histórico em prol da ditadura, de negar a existência de incêndios na Amazônia e da gravidade da epidemia da covid-19, Bolsonaro agora tenta levar o país para um novo regime autoritário". 

Além do editorial e de uma reportagem de página inteira, a charge de capa, assinada pelo desenhista Plantu, também mostra o descalabro no Brasil. Enquanto uma família francesa faz um passeio em uma floresta recém-aberta, com todos de máscara, Plantu mostra um pequeno indígena brasileiro sem defesas orgânicas em meio a tocos de árvores da Amazônia destruída.

Fonte: UOL





Por: Amarildo Mota


Ministro interino apresenta a Bolsonaro novo protocolo da cloroquina.

Eduardo Pazuello, ministro da Saúde interino, apresentou a Jair Bolsonaro a proposta de um novo protocolo para uso da cloroquina em pacientes de Covid-19.
 Pelas novas regras, os médicos serão liberados para prescrever o medicamento numa fase mais inicial da doença, e não apenas para casos graves, como acontece atualmente.
O esboço do protocolo, será submetido à aprovação do presidente, e estabelecerá dosagens máximas  em determinado estágio da Covid-19, para tentar evitar complicações nos pacientes.
Grupo 01
51,1%, receberão hidroxicloroquina+azitromicina.
Grupo 02
18,8% receberão hidroxicloroquina
Grupo 03
14,7% receberão azitromicina
Grupo 04
15,4% não receberá nenhum medicamento.




Por: Amarildo Mota

O vice-presidente da Câmara Legislativa, deputado Delmasso (Republicanos), tem dois projetos de Lei que tratam sobre a importância da doação e do aleitamento materno. O projeto de Lei 1.428/2017 que estabelece o “Dia das Doadoras de Leite Materno”, que tem o dia 19 de maio como o escolhido para lembrarmos do quão importante é o aleitamento materno e a doação de lei humano. O projeto de Lei 699/2019 estabelece o Banco de Leite Materno Virtual que terá um cadastramento nas unidades de coleta do Distrito Federal.

A proposta tem o objetivo de promover ações que estimulam a utilização de leite humano pelas crianças menores de dois anos de idade contribuem para reduzir a desnutrição, a morbidade e a mortalidade infantil.  

Segundo Delmasso, é necessário estimular a doação de leite materno, por isso a importância deste projeto. “Muitas mães infelizmente não conseguem amamentar por diversos fatores, por isso é importante lembrarmos do banco de leite humano”, disse.  

O deputado Delmasso também é autor do projeto de Lei 699/2019 que estabelece o Banco de Leite Materno Virtual. A proposta terá o cadastramento prévio e voluntário e acompanhamento de quantidade disponível nos bancos de leite, para que assim, possa aumentar a disponibilidade de leite nas unidades de coleta. As lactantes poderão fazer seu cadastro com a apresentação dos exames clínicos que atestem a boa condição de saúde da doadora. A lista deverá conter os dados pessoais da doadora, com e-mail e telefone.

Doação de leite materno  
É feita nas unidades de Banco de Leite do DF. A mãe doadora pode fazer o cadastro no Disque Saúde 160, opção 4, pelo site Amamenta Brasília ou pelo aplicativo disponível em IOS e Play Store.  

 
Coleta de leite materno  
A coleta de leite humano pode ser feita em casa e doado às unidades de Banco de Leite do DF. Solicitar e agendar a coleta pelo Disque 160, opção 4. A Secretaria de Saúde tem uma parceria com o Corpo de Bombeiros do DF para recolher o leite nas casas das doadoras.



Ações estão sendo realizadas com o objetivo de auxiliar na proteção, fiscalização e conscientização sobre o coronavírus



Produtores e público frequentador da Ceasa-DF receberam máscaras na manhã dessa segunda-feira (18). A administração do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), com o apoio do DF Legal, Secretaria de Economia do DF, SEDES-DF, Secretaria de Justiça e Cidadania e a SEGOV-DF, organizaram a ação. O material é de uso obrigatório e o não cumprimento das normas pode acarretar em multa de 2 mil reais. Lembrando que a máscara é feita de material lavável e reutilizável. 

O uso de máscaras de proteção se tornou uma medida importante no combate ao novo coronavírus, pois diminui as chances de contágio. No entanto, é preciso lembrar que elas não substituem o isolamento social, a higienização das mãos e outras orientações de prevenção.

Esta é uma ação do GDF, por meio da administração do SIA que teve início na sexta (15) e terminará neste domingo (24). Faz parte de várias ações realizadas desde abril com objetivo de auxiliar na proteção, fiscalização e conscientização sobre a atual pandemia do coronavírus. A distribuição de máscaras está ocorrendo em vários pontos da capital, além da Ceasa e SIA.

A administradora do SIA, Luana Machado, afirmou que a operação ajuda a conscientizar as pessoas sobre a importância do uso da máscara. “Entregamos hoje mais de 500 máscaras para os produtores na Ceasa. A operação realiza a fiscalização do comércio e aborda as pessoas nas ruas, particularmente em aglomerações, para a prevenção ao coronavírus no DF”, disse Luana.

A ação contou com a participação da Secretaria de Proteção da Ordem Urbanística do Distrito Federal (DF Legal), Departamento de Trânsito do Distrito Federal (DETRAN/DF), Polícia Militar do Distrito Federal (PM/DF) e Corpo de Bombeiros Militares (CBM/DF).


A partir desta terça-feira (19), às 19h, a ABBP – Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno, dá início ao seu projeto de entrevistas coletivas, por meio de videoconferência, com autoridades do Distrito Federal e Entorno



A edição de estreia da Sala de Imprensa ABBP vai receber o prefeito de Valparaíso de Goiás, Pábio Mossoró (MDB). A coletiva será transmitida na fanpage da ABBP e dos blogs e portais dos associados. Também haverá transmissão pela TV ABBP no Youtube.

A realização dessas entrevistas coletivas tem como objetivo levar informação com qualidade e de interesse para a população do DF e região do Entorno. A ABBP visa atuar no cenário do jornalismo digital para valorizar e difundir a importância dos veículos de comunicação, como blogs e portais, na construção da formação de opinião dos cidadãos.

Para o presidente da entidade, o jornalista e blogueiro Toni Duarte, a iniciativa reforça o papel da ABBP de colaborar para que a sociedade esteja sempre bem informada. “Estamos nos adaptando e mudando a nossa forma de viver após a chegada da pandemia do coronavírus e nós, como comunicadores, temos o dever de levar informação a todos. Esse é um compromisso que a ABBP assumiu com a população do DF e Entorno quando foi criada lá em 2014”, afirma o dirigente.

Toni Duarte ainda destaca que as coletivas que ocorrerão oferece ao cidadão a chance de obter informação e saber a opinião da pessoas que atuam no cenário político-administrativo da região.

“Queremos que a população tenha acesso a informação direto da fonte. Para isso, vamos entrevistar políticos, gestores públicos, formadores de opinião, empresários, dirigentes de entidades de classes, enfim, uma gama de pessoas que ajudam no desenvolvimento e crescimento do DF e do Entorno”, ressalta o presidente.

A ABBP informa que as entrevistas da Sala de Imprensa serão divulgadas aqui pelo portal e demais canais de divulgação da instituição.

Serviço

Sala de Imprensa ABBP com o prefeito de Valparaíso de Goiás, Pábio Mossoró (MDB)

Dia: 19 de maio de 2020, às 19h.

Local: Fanpages da ABBP e dos blogs e portais; canal do Youtube: TV ABBP



Se inscreva no nosso canal no Youtube: TV ABBP


Siga a ABBP no Instagram: https://www.instagram.com/abbpdf/

Acompanhe nossos tweets: https://twitter.com/ABBP2014

#ABBP #saladeimprensaabbp #tvabbp #blogueirosdepolitica #df #entorno #jornalismodigital #jornalismocomseriedade



O deputado distrital, Robério Negreiros (PSD), apresentou, na última sexta-feira, 15, na Câmara Legislativa do Distrito Federal, Projeto de Lei que restringe o uso de portarias virtuais nos condomínios habitacionais no DF


Foto: Lorenzo Aguiar.

O objetivo da proposta, além de garantir a segurança dos moradores e visitantes, pretende preservar milhares de vagas de porteiros que estão a caminho da extinção.


O uso do sistema de automação de portaria remota, por meio da internet, vem crescendo na medida em que cresce a demanda por moradia em condomínios.

Em sua justificativa, Robério Negreiros destacou que este sistema pode provocar vários impactos na sociedade, tais como: a questão social, que visa suprimir os trabalhadores que atuam em portarias; a questões de fragilidade, que pode permitir a entrada de pessoas sem que ninguém perceba; dentre outros problemas operacionais. 

De acordo com Robério Negreiros, “O ideal seria poder unificar o porteiro e a tecnologia. Não obstante a tecnologia ser primordial para as atividades dos dias atuais, não podemos perder de vista que jamais um sistema de computador substituirá a capacidade humana, pois, além de uma possível falha e de vulnerabilidade do sistema de portaria à distância, ainda podemos citar o fato de que os porteiros são treinados para agir nas situações de emergências", ressaltou o deputado.

Foto: João de Castro.





Tecnologia do Blogger.