quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Detran-DF promove palestras no Dia do Pedestre

Primeiro semestre de 2019 teve redução no número de mortes por atropelamentos. O órgão vai, neste mês, realizar ações em escolas públicas e particulares e intensificar as campanhas educativas em vias públicas e faixas
O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) promoverá uma ação educativa na plataforma superior da Rodoviária do Plano Piloto, nesta quinta-feira (8), para celebrar o Dia do Pedestre. Além da distribuição de materiais educativos, os educadores de trânsito realizarão palestras, das 9h às 12h e das 15h às 18h, com o objetivo de conscientizar os pedestres sobre a prática de condutas seguras ao circularem pelas vias públicas.

De janeiro a junho deste ano, o DF registrou 56 mortes de pedestres no trânsito, 16,4% a menos que no mesmo período do ano passado quando 67 pessoas morreram atropeladas. De acordo com levantamento da Gerência de Estatísticas do Detran-DF, 23% dos pedestres mortos no primeiro semestre deste ano tinham mais de 60 anos e 78,5% eram do sexo masculino.

Os dados indiciam ainda que 42% dos atropelamentos de pedestres ocorreram à noite, entre 18h e 23h59, um total de 23 ocorrências no período. O dia da semana com maior número de acidentes com pedestres foi o domingo, com 11 atropelamentos. Em relação à localidade dos acidentes, Ceilândia foi a que registrou a maior quantidade de atropelamentos: sete ocorrências. Já entre as rodovias, a DF-003 (Epia), na Candangolândia, teve o maior registro, com três atropelamentos.
42%dos atropelamentos de pedestres ocorreram à noite, entre 18h e 23h59, um total de 23 ocorrências no período. O dia da semana com maior número de acidentes com pedestres foi o domingo, com 11 atropelamentos.

Álcool e drogas
Segundo o levantamento do Detran-DF, 54% dos pedestres mortos neste ano apresentaram resultado positivo no exame de toxicologia. Os dados indicam que 43% dos pedestres mortos ingeriram bebida alcoólica, 37% consumiram drogas e 20% consumiram álcool e drogas.

De acordo com o diretor de Educação de Trânsito do Detran-DF, Marcelo Granja, os dados estatísticos têm auxiliado na elaboração de políticas voltadas à segurança do pedestre. “O estudo estatístico nos possibilita identificar os principais fatores de risco para a ocorrência dos acidentes e isso tem nos ajudado a definir as ações e a atuar nas áreas onde detectamos a maior quantidade de acidentes. Neste mês, por exemplo, vamos realizar ações voltadas aos pedestres, em escolas públicas e particulares e intensificar as campanhas educativas em vias públicas e faixas de pedestres”, destaca Marcelo Granja.