segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Donos da rede Supercei respondem por sonegação de quase R$ 260 milhões

A Justiça recebeu denúncia por crimes contra a ordem tributária, lavagem de dinheiro e associação criminosa contra os proprietários e responsáveis pelo Grupo Supercei

Os irmãos Elias, Geraldo e Hélio Felis Palazzo são acusados de sonegar, em valores corrigidos, R$ 259.465.604,79 em Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) entre 2006 e 2016.

Eles também são acusados de lavagem de dinheiro no valor corrigido de R$ 218.464.000,88. Os réus convertiam o imposto sonegado em ativos lícitos por meio de operações financeiras de fachada. Eles também respondem pelo crime de associação criminosa por terem atuado de forma conjunta para fraudar o Fisco.

De acordo com a denúncia oferecida pela Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Tributária (PDOT), “os recursos que foram suprimidos do Erário do Distrito Federal viabilizariam a solução de inúmeras demandas sociais de grande importância, como a ampliação e melhoria de serviços de saúde, a instalação de novas unidades de terapia intensiva (UTI), o fornecimento de medicamentos e tratamentos médicos essenciais à manutenção da vida, para citar somente exemplos relacionados ao direito à saúde”.