sexta-feira, 2 de junho de 2017

Eduardo Machado perde apoio da bancada do PHS de 26 estados da federação

Em reunião os membros de Comissões Executivas de 25 estados e do Distrito Federal decidiram pela destituição de Eduardo da nacional do Partido Humanista

Denunciado por prática de irregularidades durante o período em que ficou à frente da Executiva Nacional do PHS, o ex-presidente Eduardo Machado não conta mais com o apoio dos principais líderes d partido. Em reunião em Brasília, que contou com as presenças dos membros do Conselho de Ética, Conselho Fiscal, deputados federais, lideranças da Bancada Federal na Câmara e presidentes de 25 estados brasileiros mais o Distrito Federal, resolveram apoiar a destituição do ex-presidente do PHS. 

Todos os membros do Conselho Fiscal e do Conselho de Ética foram favoráveis ao seu afastamento por suspeita de irregularidades.

De acordo com instituição, Eduardo não tem mais votos no CGN, onde perde de 3 a 1. Não tem mais votos na CEN, onde perde de 7 a 2.

Eduardo teve quatro mandatos de prisão expedidos pela Justiça. Conseguiu um Habeas Corpus e com a Liminar conseguiu resolver a questão da desfiliação. Porém, não resolveu os processos de afastamentos.

Na quarta-feira (31) Eduardo ele foi à sede do Partido as 07h30 da manhã e correu de lá para não ser novamente notificado pelos oficiais de justiça (já o foi por AR/Correios) e levou Murilo, Felipe e Marcelo Aro.

Entre as denúncias contra Eduardo está a revelada pelo funcionário “fantasma” da Câmara Federal o qual, disse que destinava 80% do salário a Eduardo Machado.

Outra denúncia dá conta de que Eduardo Machado teria comprado uma caminhonete avaliada em R$ 170 mil que ele utiliza em Goiânia, com dinheiro do partido.

Ele ainda teria beneficiado a família com a aquisição: a concessionária onde o veículo foi comprado pertence a seu tio. Mas Machado não vê nada de mais nisso. “Pagamos preço de mercado. Quer dizer, teve até desconto.”, declarou à imprensa.